Este pai japonês decidiu só usar roupa rosa depois de ouvir a filha dizer que a cor é de menina

Reprodução/Twitter (@tsurugimikito)

O japonês Mikito Tsurugi chamou atenção no Twitter ao compartilhar com seus seguidores a decisão de usar roupas de cor rosa por um tempo.

O motivo? Sua filha de apenas três anos, que contou ao pai que a cor só poderia ser utilizada por meninas.

Tsurugi decidiu que a filha não poderia fixar este preconceito de gênero na cabeça e para fazê-la entender que homens também podem gostar de rosa e são livres para usar roupas dessa cor, ele decidiu provar por si mesmo.

A publicação foi enviada no início do mês e rendeu mais de 12 mil compartilhamentos, 60 mil curtidas e mais de 1 mil comentários.

De forma geral, a reação dos japoneses foi bastante positiva. Muitas homens mostraram fotos suas vestindo roupa rosa e elogiaram a atitude de Tsurugi como pai e os valores que está tentando passar para a filha.

Assim como no Brasil, a cor rosa também está relacionada ao gênero feminino no Japão, embora não seja tão raro ver homens vestindo roupa rosa ou utilizando acessórios desta cor no país do sol nascente.

“Minha filha adora a cor rosa, mas me disse que só as meninas podem usar esta cor. Vejo que ela também está sendo influenciada pelos preconceitos de gênero que estão por toda a parte. Para mostrar que os meninos também podem gostar de rosa, decidi usar roupas desta cor quando vou busca-la na creche ou mesmo em casa”

Em entrevista ao portal “Maidona News”, Tsurugi contou que a filha passou a adorar a cor rosa e acabou fazendo a relação de gênero devido aos referências ao redor de si.

“A personagem preferida da minha filha é a Princesa Peach e embora tenham muitas personagens femininas que utilizam roupas rosas, é muito raro encontrar um personagem masculino com esta cor. Eu acredito que esta seja uma das causas”, explicou.

Tsurugi acredita que sua estratégia tenha funcionado, pois vestir roupa rosa se tornou natural aos olhos da filha. Além disso, ele conta que tem utilizado isto como uma forma de influenciar outras crianças.

“As crianças da creche da minha filha talvez não tenham visto muitos homens vestindo rosa, então pensei que isto também poderia despertar algo nelas, é bom para os meninos que gostam dessa cor”, comentou.

O objetivo é ajudar a construir uma sociedade com menos preconceitos de cor e de gênero, em que as pessoas possam se sentir mais livres para se expressarem ao mundo do jeito que se sentem melhor.

Gostou? Siga a página Japão sem Tarjas (veja aqui) no Facebook e Instagram (@japaosemtarjas) e acompanhe novas publicações.

Autor: Ana Paula Ramos

Jornalista e escritora, Ana Paula tem sete anos de experiência no Japão, atuando como repórter na comunidade brasileira e como freelancer. Ela é a fundadora do Japão sem Tarjas e criadora do grupo "Por que você também não faz?", que realiza mutirões de limpeza em praias no Japão. Em outubro de 2020, publicou o seu primeiro livro, "O Oitavo Andar", um suspense que se passa na cidade de Gramado e está disponível na Amazon.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s